Pular para o conteúdo principal

Como começar um negócio com pouco dinheiro?

Como começar um negócio com pouco dinheiro?

É preciso ter bastante criatividade, pegada empreendedora e coragem para enfrentar uma nova rotina. Quer dar o primeiro passo?

Quem sonha em ser dono do próprio negócio muitas vezes não toca adiante o projeto por falta de dinheiro pra começar. Porém, o mercado está repleto de oportunidades que não necessitam de muito dinheiro para darem certo. Por vezes, com bastante criatividade, pegada empreendedora e coragem para enfrentar uma nova rotina, você consegue alcançar seus objetivos. Quer dar o primeiro passo?

Então, confira as dicas nesse miniguia para começar um negócio com muito pouco investimento. Elas podem te ajudar conseguir a tão sonhada autonomia financeira.

  1. Invista em um ramo que já conhece
    Apostar em um setor no qual já tem experiência oferece muitas vantagens na hora de abrir o seu negócio — principalmente para quem está com o dinheiro contado.

    Primeiro porque você está familiarizado com o ramo e conhece os detalhes. Isso ajuda a pular etapas iniciais de pesquisa e de criação da rede de contatos e de fornecedores.

    Além disso, a sua experiência reduz, consideravelmente, as chances de algo dar errado. Tem ainda o fato de que investir em um campo de atuação de que gosta e no qual tem facilidade e se sente confortável dá aquela dose extra de motivação e segurança, ingredientes essenciais para o sucesso de uma nova empresa. 
  2. Aposte em negócios de baixo investimento inicial
    Há projetos que exigem pouco dinheiro para começar. Eles são principalmente da área de serviços e de trabalhos manuais e digitais, como e-commerce, e são recomendados para quem tem pouco dinheiro para iniciar. Nós fizemos, por exemplo, uma lista de franquias que exigem pouco dinheiro para começar. Dê uma olhada.

    No ano passado, o site americano Entrepreneur também elencou 60 ideias de baixo investimento. Algumas podem ser adaptadas ao mercado brasileiro, como personal trainer, planejador de festas infantis ou de casamentos, serviços de costura ou de reparos, produção de geleias, bolos e pães, cuidador de animais, entre outras opções.

    Tem mais: você já pensou em transformar aquele seu hobby em uma renda extra? 
    Muitos podem iniciar em casa e, no futuro, ele pode se transformar no seu negócio principal.
  3. Busque formas alternativas de investimento
    Você sabe que os empréstimos bancários podem se transformar em dor de cabeça, principalmente se o negócio não deslanchar logo no início. E isso acontece mesmo com as linhas de crédito dos bancos públicos ou de programas de incentivo do governo federal.

    Antes de partir para essa opção, veja se família ou amigos não se interessam em investir pequenas quantias na sua empresa. Quem sabe você descobre entre eles um sócio investidor perfeito para seu negócio?

  4. Economize ao 4 máximo
    Alugar um escritório, contratar pessoal, depender de serviços externos para certas funções na empresa... Você realmente precisa desses custos fixos agora? No início, a regra é gastar o mínimo possível.

    Para economizar, valem estratégias como começar trabalhando de casa, dividindo escritório ou até mesmo em cafés e livrarias com internet grátis. Também é possível aprender por conta própria princípios de marketing digital e de comunicação ou de outras áreas que geram bastante custo quando terceirizados. Esses são alguns exemplos, mas a regra do gasto mínimo vale para todos as ações na empresa.
  5. Prefira um sócio que seja de uma área diferente da sua
    Muitos candidatos a empresário que estão com o dinheiro curto buscam um sócio investidor para aportar o capital na sua ideia. Sim, é um caminho, mas cuidado com essa opção.

    Você pode ficar sobrecarregado ao ser o único a colocar a mão na massa e ainda receber cobranças de alguém que está distante de todos os percalços da empresa. Pense na possibilidade de buscar um sócio complementar, ou seja, uma pessoa que traga habilidades diferentes das suas.

    Caso você seja um programador, mas não entende nada de design, por exemplo, um designer pode ser o cofundador ideal para seu negócio. Dessa forma, vocês conseguem fazer e lançar o primeiro produto e deixar para contratar mais pessoal ou serviços terceirizados depois que começar a gerar renda.

Comece com uma máquina de cartão 6 sem aluguel
Quem anda com talão de cheque ou muito dinheiro no bolso hoje em dia?

Pois é, muito pouca gente. E você não pode correr o risco de perder uma venda por conta disso. Principalmente se tem um novo negócio e precisa do boca a boca para gerar o marketing espontâneo.

Adquirir uma máquina de cartão hoje em dia é muito fácil e não pesa no bolso. Com uma maquininha que funciona no seu celular, por exemplo, você pode vender em qualquer lugar, no débito ou no crédito e, inclusive, parcelado.

Resultado: você ganha fluxo de caixa para investir no seu novo negócio.
Pronto, agora você está preparado para crescer ainda mais. Esperamos que você tenha gostado das dicas do miniguia. Ele foi feito com muita atenção pela SumUp para ajudar você a vender mais e conquistar o sucesso de seu negócio.

E de sucesso a SumUp entende. Empresa alemã, presente em mais de 30 países, incluindo o Brasil, ela tem as melhores maquininhas de cartão, com as taxas mais baixas do mercado.

A SumUp quer tanto te ajudar, que criou um desconto especial de 5% para você, que leu esse miniguia e precisa de uma força para fazer seu negócio decolar.


Se você quiser outras dicas, visite o Dono do Negócio. Lá você encontrará diversos outros miniguias, textos, infográficos, vídeos, planilhas e conteúdos especiais. É possível navegar pelo site, baixar tudo o que precisar, compartilhar e mostrar para seus amigos. É tudo gratuito!

Comentários